segunda-feira, 11 de maio de 2009

Canção da Despedida.

Despeço-me da vida, pois, o que restou sem você, resume-se em existência.
A trilha tortuosa esta mais difícil sem a mão delicada de unhas bem pintadas, que não era guia, porém, tornava a trilha menos árdua, menos assustadora. Entendo seu momento tão triste quanto ao meu, e não te culpo por nada, afinal esteve comigo não só na minha mais cruel derrota, como também nos momentos felizes, que temo que não voltem, pois, minha felicidade estava resumida em você.
Sinto por não ter aproveitado mais, cada instante do seu lado e não me arrependo em nenhum momento ter deixado exposto, todos meus sentimentos. Triste é a criatura que nunca se sentiu amada e tenho certeza que neste quesito eu não falhei contigo.
Por hora choro escondido a noite tendo comigo boas lembranças e a mente trava uma batalha entre os sonhos que eu tinha ou quem sabe ainda tenho, os planos que fiz e o que eu devo fazer agora, isso me deixa atordoado completamente tonto. É incrível como o tempo passa mais devagar quando estamos tristes e como a imensa vontade de dormir para quem sabe sonhar que ainda estamos juntos me faz perder o sono.
Tudo isso seria mera poesia se a falta que eu já sinto de você não fosse tão real, tão forte.
Não perdi a esperança, talvez você saiba que o coração apaixonado é idiota demais para perder as esperanças, se agarra com unhas e dentes em luzes no fim do túnel que as vezes nem existem e não desiste nunca de lutar.
Espero que você encontre o que está buscando.
Despeço-me da vida, esperando um dia viver de novo e quem sabe num sorriso ao invés de uma despedida poder te dizer: Até meu ultimo dia eu vou te amar!

1 comentários:

Carlinha Said disse...

"Espero que você encontre o que está buscando."


nós, os apaixonados, sempre desajamos o melhor, apesar de machucados, sofridos...nos cansamos de ser os mais fracos e, por volta e meia, nos pegamos, novamente, naquela situação já vivida...
Devemos nos permitir apaixonar e desapaixonar, sofrer, chorar...me disseram que faz parte do crescimento; e quem disse que viver seria fácil?

beijos